VOLTAR
Digite sua pesquisa no campo abaixo.
Capacitações

Artigo: O Ciclo de Criação de Impacto Social

Publicado em 22/06/2017

Empreendimentos sociais precisam ter muito claro quais são os seus objetivos, o que eles precisam para realizar estes objetivos e como vão mensurar o seu sucesso. Pensando nestas questões, Marc Epstein e Kristi Yuthas entrevistaram mais de 60 fundações, institutos e empresas americanas (dentre elas Bill e Melinda Gates Foundation, Procter & Gamble e Rockefeller Foundation) em busca de metodologias de mensuração de impacto social.

O resultado disso foi a criação do Ciclo de Criação de Impacto Social, ferramenta que pode ser utilizada por investidores sociais (filantropos), investidores de impacto, empresas e empreendimentos sociais (tanto negócios sociais quanto organizações da sociedade civil).

Muitos investidores e empreendedores sociais, quando pensam no impacto social de suas ações (seja como filantropo ou executor de projeto) acabam presumindo que boas intenções geram ações significativas, confundindo o número de atividades com a qualidade dos resultados.

Entende-se que impacto social são as mudanças sociais e ambientais criadas por atividades e investimentos. Estas mudanças podem ser tanto positivas quanto negativas.

E investimento não é somente o financeiro. Investimento que cria impacto social pode ser investimento de tempo, expertise, bens materiais, conexões, reputação e outros recursos valiosos.

O Ciclo de Criação de Impacto Social responde à duas perguntas essenciais para quem quer fazer transformação social:

 

  1. Defina o que sucesso representa para você
  2. Descubra como você vai saber que atingiu o sucesso

 

Empreendimentos sociais acabam definindo sucesso baseado no que a Organização produziu e não no impacto que resultou desta produção. Esta contabilidade de resultados com base na produção ou no número de atividades é apresentada nos relatórios anuais, que confundem números de beneficiários atendidos com o impacto social.

 

Objetivos baseados em entregas versus objetivos baseados em impacto

Objetivos baseados em entregas

Objetivos baseados em impacto

“Nós queremos dar refeições para 10 mil pessoas em situação de rua”

“Nós queremos reduzir a fome em 5%”

“Nós queremos distribuit 1 milhão de mosquiteiros”

“Nós queremos evitar 5.000 casos de malária”

“Nós queremos alfabetizar 500 crianças”

“Nós queremos aumentar o alfabetismo em 10% na região”

 

Vejam que as mudanças são sutis, mas é importante que o foco do empreendimento social seja no impacto, pois:

- As atividades realizadas nem sempre entregam os resultados esperados

- Instintos nem sempre estão certos

- Se não for compreendido o impacto, será dificil aumentá-lo ou melhorá-lo

 

E mais:  o ser humano falha. Pesquisas de psicologia já demonstraram que o que vemos e o que acreditamos é fortemente influenciado pelo que acreditamos. Então, se você acredita em um projeto (que nada mais é do que um plano, uma teoria), a sua tendência é crer que ele atingiu o impacto desejado.

Como lembram os autores do Ciclo de Criação de Impacto Social: você acreditar que as refeições gratuitas que a sua organização distribue estão reduzindo a fome pode ser influenciado pelos calorosos agradecimentos recebidos dos beneficiários.

O Ciclo de Criação de Impacto Social descreve os passos necessários para criar e melhorar o impacto social da iniciativa que você executa ou financia. O interessante desta abordagem é que ela pode ser utilizada tanto por empreendedores sociais, na hora de desenhar a execução do seu projeto, quanto por investidores sociais (filantropos e empresas) em busca da maximização de seu impacto social.

A ferramenta, além de se preocupar com a comprovação do impacto social positivo, também se preocupa em evitar os impactos sociais negativos, que também ocorrem e acabam sendo ignorados no momento da avaliação de resultados.

O Ciclo é baseado em 5 perguntas fundamentais que qualquer empresa, empreendedor social ou investidor social deve fazer para mensurar o seu impacto social:

 

1)O que você vai investir?

Quais são os seus objetivos de investimento? Por que você está investindo nesta iniciativa? O que você quer conseguir com este investimento? Você espera somente retornos sociais ou também financeiros? Você quer retorno de marca para a sua empresa? Quais os recursos que você vai investir para a transformação social?

Lembrando que se você é voluntário ou trabalha em um empreendimento social, você também é um investidor. Você pode investir seu tempo, seu dinheiro, seu conhecimento e a sua rede de relacionamentos.

 

2)Qual problema você quer resolver?

Decida quais são os problemas sociais que mais te interessam e decida se você vai se dedicar à uma causa ou à um portfólio de causas. No Liga Social, por exemplo, nos dedicamos à um portfólio de causas e focamos nossa atuação na ponte entre investidores sociais e projetos.

 

3)Quais os passos que você vai dar?

Depois de ter identificado a causa, você pode planejar como vai atingir os resultados desejados. Você deve considerar as várias formas que você pode criar impacto com os seus investimentos.

Para entregar o impacto social desejado você deve desenvolver uma teoria sobre quais ações podem criar este impacto. Depois, um modelo lógico pode mostrar como você espera que as atividades/entregas do empreendimento social resultem em impacto positivo para os grupos de interesse e o meio-ambiente.

 

4)Como você vai medir o sucesso?

Escolha um sistema de mensuração de impacto e um sistema de gestão que ajude você a monitorar como os seus investimentos estão criando transformação social. Aqui você deve definir o seu objetivo com a mensuração dos resultados: se é para ver a efetividade do que já foi realizado, se é para comunicar quais são as expectativas de resultado ou satisfazer as demandas do investidor social.

Aqui você vai determinar que método de mensuração será utilizado para mostrar as evidências que você precisa: investigativa, analítica ou experimental.

 

5)Como você vai aumentar o impacto?

Você vai avaliar as dimensões do seu sistema de mensuração de impacto: o próposito, as métricas coletadas e as relações com a sua estratégia, tudo com o objetivo de melhorar o seu sistema de mensuração de impacto.

O propósito vai definir para que vai ser utilizado o sistema de mensuração de impacto. O propósito vai desde gerenciar o dia a dia até a orientação da mudança de estratégia.

A qualidade das métricas coletadas vai depender do grau de maturidade do sistema de mensuração de impacto.

Já as relações com a  estratégia definirão como o sistema de mensuração de impacto será utilizado para redefinir o modelo de negócio do empreendimento social.

Seguindo estes passos do Ciclo de Criação de Impacto Social, tanto investidores sociais quanto empreendedores sociais se tornarão mais rigorosos na definição de sucesso. Será possível entender a relação de causa e efeito entre as atividades realizadas (ou entregas) e o impacto desejado. Além de medir o impacto social e dar escala para este impacto, tanto sozinhos quanto em parceria com outros atores interessados em transformação social. 

 

Artigo escrito por Patricia Mussi, fundadora do Instituto Liga Social.